Páginas

20 de out de 2011

MULHER IGNORA E CUIDA DO MARIDO EM DECOMPOSIÇÃO

O homem em estado de putrefação
ISSO É INCRÍVEL !

Durante três dias a fio muitos eram os carros que iam a procura do mecânico José Antônio Emílio 57 anos, em sua oficina e voltavam um atrás do outro, em comboio, sem os serviços prestados.
72 horas sem enterro
Os moradores do Bairro São Gabriel em Belo Horizonte onde Emílio morava com a esposa, já estavam desconfiados. O homem que só tinha pernas para caminhar para o galpão onde vivia consertando os carros dos clientes,de repente, pode ter tomado outro rumo. Para um outro mundo. Há muito convivendo naquele bairro, ali, naquelas cercanias da capital mineira era quase que da casa pro serviço e do serviço pra casa.
Como é que um homem que  todo dia, punha-se de pé bem cedo e trabalhava até a noite; de repente evapora-se sem explicação ?

E foi com razão que um grupo de vizinhos levou o caso  adiante. Depois de a polícia ouvir os depoimentos aqui e acolá, foi atrás da mulher do mecânico,Geraldina Cardoso Carneiro-54.Aos primeiros contatos, os olhares de través da duvidosa denunciavam desequilíbrio mental. Mesmo assim, soube calar diante do bombardeio de perguntas que ela recebeu sobre o que ela teria feito do marido? Para não dizer que ela não falou nada, foi taxativa numa só resposta, curta e grossa:
“Ele está deitado e eu estou cuidando dele.” Como se ali, no pé que estava, pudesse encerrar o papo com um simples ponto final.
A polícia adentra no quarto do casal e depara-se com o corpo num colchão onde jazia o mecânico de olhos bem fechados, todo inchado, frio como uma pedra de gelo e em estado de decomposição.
Impecavelmente, bem vestido, conforme a mulher disse, ela não mentiu, não. Realmente estava cuidando dele, tarde demais, como se ele nunca tivesse morrido.
Ninguém sabe o que aconteceu, ninguém viu. Tanto ela pode ter matado o marido e se fingido de doida ou estar mesmo doida pelo ocorrido, encenando  que ele pra ela não morreu. (Imagens cedidas pelo Cabuloso)

Um comentário:

  1. Como podem postar uma história sem saber como os fatos realmente ocorreram? A Sra. Geraldina sofre de transtornos mentais e há muitos anos faz o tratamento e é assistida por uma equipe de saúde (médico, psiquíatra, psicólogo, enfermeira e tecnicos de enfermagem). O marido da mesma sofreu um infarto agudo do miocárdio e veio a falecer, era exatamente ele que cuidava dela e dava os medicamentos à mesma, com sua morte a Sra. Geraldina fica sem tomar a medicação e delira ao ver o marido caído, acreditando que este estava doente, assim se dispos de cuida-lo.
    Antes de postar um fato, este deve ser pesquisado e conferido a real versão, pois você, Mirian C. Prado, pode estar coagindo,agredindo fisicamente e emocionalmente o sujeito principal, familiares e amigos.Pense e pesquise bem antes de postar suas histórias.

    ResponderExcluir