Páginas

25 de out de 2011

QUADRILHA DE MÉDICOS ACUSADOS DE RETIRAR ÓRGÃOS DE VIVOS



Médicos condenados por retirar órgãos de vivos

ELES AGIAM CONTRA À VIDA      



Foi, na década de 80, por volta de 1987, que tudo viera à tona, mediante denúncia de Dr. Roosevelt Sá Kalume contra uma quadrilha de médicos que retiravam órgãos de pacientes com sinais vitais. 

O caso denominado “Kalume”, em referência ao sobrenome do denunciante dos crimes de lesões contra  vitimados como José Miguel Silva, Alex de lima, Irani Gobbo e José Faria Carneiro a quem  ainda respiravam enquanto eram retirados seus rins.
De acordo com a denúncia os doutores falsificaram prontuários dos pacientes vivos, informando que estavam com morte encefálica (sem atividade cerebral e sem respiração natural) para convencer suas famílias a autorizar a retirada dos órgãos para doação.

Seis anos depois das denúncias e apurações, os médicos Rui Noronha Sacramento, Mariano Fiore Júnior (foto), Pedro Henrique  Masjilan Torrecillas e Aurélio de Carvalho Monteiro foram absolvidos pelo CRM (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo), CREMESP e pelo CFM depois de mais de 40 h de julgamento. No Fórum de Taubaté SP.
Na sequência muitas foram as reaberturas do processo em tramitação. Lá se foram 24 anos.
No último dia 20, os acusados, com exceção de Aurélio de Carvalho Monteiro que morreu no ano passado foram condenados a mais de 17 anos de prisão em julgamento acontecido em Taubaté.
Mas os incansáveis senhores irão, ainda, com suas idades avançadas, recorrerem da decisão em liberdade dos direitos que ainda acham que são seus, conforme permitiu o Juiz Marco Montemor: " isso faz sentido por não terem antecedentes criminais".Insinuou.

Um comentário:

  1. Talvez esse desfalque seja motivado pela carência de doadores? Será?Ao mesmo tempo o q tá em demanda é o crime.Vamos ver em q pé stão os estudos do processo e os descontos das proteções.Eu não opino.

    ResponderExcluir