Páginas

28 de mai de 2010

NENÊ DE DOIS ANOS JÁ É FUMANTE CONTUMAZ






PULMÃOZINHO PRETO

Trágico se não fosse cômico.
O pequeno Ardi Riza (foto) atrai os mais velhos da sua geração (foto menor), para protagonizar um cenário cômico. Com apenas 2 anos de idade já tem hábitos incompatíveis a sua pouca idade. Em igualdade com outras crianças de sua faixa etária, tem também a sua chupeta, não importa se maléfica ou não. O certo é que fuma um cigarro atrás do outro e o pai, o principal interessado, não vê nada de errado.
Sua cota de fumante desde os 18 meses de vida, lhe dá direito a consumir dois maços de cigarros, uma espécie de mesada honrada pelos pais.
Morador e natural da Indonésia, onde 25% das crianças faixa de 3- 15 anos começam a fumar de alguma forma, ainda que passiva. Foi a partir do útero que Ardi começou a desenvolver a intenção despertada pelos tragos da fumaça aspirados pela mãe, diz especialistas. Hoje, chora, copiosamente para manter o hábito em desespero como se sentisse a falta da mamadeira.
Nessas alturas, o vício se torna difícil de conter, movido pela chantagem do pequeno quando seus pais demoram lhe fornecer a droga. O pai acha bonito. A mãe que não desiste de fazer dupla com o filho, apesar de fumar muito, reconhece que não é páreo para ele. Nesse ponto, o casal não sabe discernir qual é o pior; liberar a nicotina para o filho ou deixar acontecer birra seguida de batidas da cabecinha contra a parede, que já virou saco de pancada quando há demora em acender o cigarro.
Abstinência ? Nem pensar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário