Páginas

22 de ago de 2011

O CÂNCER RARO E AGRESSIVO DE GIANECCHINI EXIGE QUÍMIO FORTE

 SINTOMAS INICIANTES: IMUNODEFICIÊNCIA-  
ÍNGUA NO PESCOÇO NA AXILA OU VIRILHA- FEBRE E SUOR À NOITE-  CANSAÇO-  DOR ABDOMINAL- PERDA DE PESO- PELE ÁSPERA E COÇEIRA PELO CORPO...

Diagnosticado como raro e agressivo é o tumor não hodgkin localizado nos gânglios linfáticos do ator e modelo Reynaldo Gianecchini.

Trata-se de linfoma do tipo T mais forte que o tipo B. Estima-se porquanto a taxa de cura em torno de 30%. (É considerada cura, o paciente que passa de 5 anos sem recidiva após o fim do tratamento).   
Entre toda a variedade que abrange 20 tipos das espécies de tais tumores diversificam-se, ainda, no desenvolvimento quanto a intensidade; lentos e rápidos.

Este que afeta o ator, corresponde a menos de 10 % dos casos bem como o NK difíceis de serem tratados principalmente quando em estágio avançado além de ser também difícil se detectar também na fase inicial.
O tratamento de cura do referido e do NK envolvem alta dosagem de quimioterapia uma vez considerados tipos raros e agressivos. Ventila-se a possibilidade até de transplante de medula para que o paciente suporte às aplicações.
Mas, com tudo isso, existem fatores considerados infalíveis que podem ser levado em conta: A idade, as condições clínicas, o tratamento sem efeitos colaterais e, a força positiva do momento que interage a união de forças com  um universo,  muito oportuna e que tanta  infalibilidade tem detectado.

(As informações foram colhidas no Hospital Sírio-Libanês e entre estudiosos como Antônio Buzaid, Celso Arrais (UNIFEST), Selmo Minucelli e outros.)

Um comentário:

  1. Vamos torcer, vamos rezar. Gianne não pode ter nenhum efeito colateral.

    ResponderExcluir