Páginas

11 de mai de 2011

ADVOGADO OBESO FAZ FORTUNA ILÍCITA, VAI PRESO E FOGE PARA DESFRUTAR EM SETE LAGOAS

O FUGITIVO DESAPARECE SEM DEIXAR PISTAS E TRANSFORMA EM COMERCIANTE COM 110 KG A MENOS E OUTROS DISFARCES. MAS...
Em poder do bandido. Documentação falsa e R$ 20 mil
                 
Um advogado paulista, sem deixar vestígios, foge da cadeia de São Paulo sem cumprir os 14 anos que lhe pesavam  às costas largas de um corpo obeso de quase 200 kg.

Passaram-se 5 anos. O fujão temeroso de ser apanhado pelos "homens de farda", vai dificultando as pistas. À polícia sempre se ocupando de novos desvendamentos, sem muito tempo, vai trocando as questões antigas pelas novas, sem  se atinar para o tempo que já chegava a beira do engavetamento daquela ação.

Na prisão, gente saindo pelo ladrão
Foi quando a equipe policial de Sete Lagoas, cidade suspeita,  recebeu uma ligação anônima revelando que o procurado estaria  às suas barbas, ali na cidade, no condomínio mais elegante daquela povoação, mais perto do que pudesse imaginar.
Numa primeira vez, o criminoso sai foragidoda cadeia de São Paulo  para Tocantins quando era, então,  rechonchudo; mais novo e aparentemente sem nenhum bem.Depois, em outra oportunidade ele resolve embrenhar para as bandas das Minas Gerais. Aproveitando de detalhes básicos que chamam atenção nas pessoas, ele transformou seu  perfil bem ao contrário: Em vez de advogado credenciado que era, se fez passar por comerciante abastado; não era mais Doutor obeso Nilton Valin de 41 anos mas, elegante e esguio Senhor Gabriel Airam Kowalski de 46. Fez redução de estômago perdendo 110 kg, no rosto algumas modificações para despistar a justiça. Morando em mansão, carrões, possantes motos, ele dono de um patrimônio aplicado bem longe de onde começou por pagar na cadeia e evadir-se com todo o dinheiro  acumulado antes, para viver longe dali como se um abade fosse.
Essa é uma história  diferente do homem que teve que se passar por inculto para conseguir seu intuito: em um caso recente o farsante exerce a função de advogadoigno de crédito, mas sem diploma. Este, do presente fato, ao contrário,tinha diploma mas não tinha dinheiro.Preferiu ser comerciante rico e sem  credencial do que advogado só com título.
Enfim, foi apanhado de surpresa pela polícia na sua residência de luxo. Cai a máscara sobra-lhe a farsa não era mais advogado pobre mas, um comerciante rico, esbelto que sai da mansão do bairro nobre de Sete Lagoas para a prisão local onde uniu-se a outros da sua laia; numa cela ralé e lotada de criminosos saindo, literalmente, ladrões pelo ladrão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário