Páginas

24 de nov de 2010

O PREÇO DO CRIME DE DIFAMAÇÃO NO ORKUT

ALERTA  ACUSAÇÕES CALUNIOSAS NÃO COMPENSAM

Se falarem que você é ladrão, tudo bem. Que você deve e não paga, nada acontece.Até mesmo que você é feio, pode-se falar, pois, falar da sua feiura é bem mais bonito do que a difamação; principalmente, denegrindo e expondo sua imagem em sites de relacionamento.
A exemplo disso, em 2005, o empresário João Carlos Duarte Paiva Arantes 34- postou no site de relacionamento "Orkut" insinuações sobre um dos irmãos Jorge residente em Ribeirão Preto SP. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE) os dizeres estampados no site que não teriam nenhum embasamento verídico, davam conta de que Paulo Henrique, a vítima da calúnia, tivesse  saído com um travesti.
O difamado sentindo-se ofendido e, como se diz na gíria "com o filme queimado" parte para a vingança e, com aquiescência dos demais de sua intimidade, resolve fazer justiça com as próprias mãos.
Foi ai que encomendaram o crime  e o difamador foi morto. A descoberta, como manda o ritual, veio à tona precedida de julgamento e condenação. Bem comportados os mandantes cumpriram "bonitinho" só uma parte da pena estipulada no total de 30 anos de reclusão. Mas, tendo recorrido da absolvição, novo julgamento marcado em 2010, provou que a dívida não pararia por ali e o crime não compensaria. Nesse vai-e-vem, dois já se foram, para o outro mundo; além do autor da calúnia, o matador alugado.
Na cadeia os mandantes estão reservados correndo também o risco de mais pagamentos de penas equivalentes  a juros sobre juros e  correções monetárias. Aliás, o crime não compensa. mesmo!  Se soltos,  estarão correndo o risco de pagar  o mal feito com a própria vida quando não rotulados e com sequelas  enquanto viverem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário