Páginas

17 de jun de 2009

MINISTRO SE ENFORCA COM VERGONHA DE SER DESONESTO


Visivelmente abatido e envergonhado era como estava vivendo pouco antes do suicídio, o Ministro da Agricultura, Florestas e Pescas do Japão, Toshiktsu Matsuoka.
Segundo fontes policiais, ele estava imerso numa poça de escândalos. Havia denúncias contrárias de estranhos comportamentos e de suposta malversação de fundos públicos.

Chamado a depor,ele assegurou que não revelaria os detalhes dos orçamentos do seu Ministério e que tal atitude procedia, perante a lei.
Em outro prisma, o que é pior,presumia-se que ele poderia estar envolvido em doações e seu partido de entidades com interesses nos recursos florestais.
Em contrapartida, já foi elogiado muito antes de tais acontecimentos se fluírem; era considerado especialista em questões agrícolas (e até já havia conseguido aumentar as exportações de arroz para a China).Enfim,muito admirado pela competência da função que conduzia. Até então.
Sistemático, chegou a ser hilariante quando certo dia prestou conta até de um filtro, comum, de purificação de água para seu gabinete; um ato incompatível com o cargo a que exercia.
Diferente, tido como honesto até que se provasse o contrário e a dúvida em meio as apurações chegasse e fortalecesse.
Mas, por muito que fortificasse a incerteza, o certo é que não chegaria a ser nenhum "Valerioduto" muito menos imitaria os insaciáveis como a advogada do INSS Georgina de Freitas,o ex-Presidente Collor de Melo e outros.
As vésperas de novo depoimento para dar conta de uma das polêmicas do orçamento superfaturado, foi quando tudo aconteceu:
Por volta das 12h20 do dia marcado por bombásticas revelações, a secretária e um segurança particulares do ministro, chegaram ao escritório para começarem o dia. A sala, diferente das outras vezes, estava fechada.A moça abriu com chave duplicada e encontrou Matsuoka dependurado numa corda dentro do escritório. Havia uma escada próxima ao local onde estava o corpo. Levado para o hospital Toshiktsu não conseguíu ser reanimado,e foi declarado como morto, oficialmente, às 14 h.
Um dos 8 bilhetes encontrados em seus pertences pedia desculpa ao primeiro Ministro- Shinzo Abe por estar causando problemas àqueles pelos quais tanto nele confiaram.

Enfim,conclui-se que a maior causa da morte do Ministro foi a de que ele tinha vergonha de ser desonesto.
Enquanto isso,infelizmente, aqui no Brasil,chegou-se o tempo previsto por Rui Barbosa em que o homem haveria de ter vergonha de ser honesto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário