Páginas

2 de set de 2010

O MILIONÁRIO DE LOTERIA QUE FICOU PAUPÉRRIMO

                   ALERTA - DINHEIRO MAL APLICADO

Nivaldo Eduardo que hoje vive em Salvador BA- dos louros de uma vitória que ficou na história, não é o primeiro nem será o último a viver um momento relâmpago de glória.
Milionário da Loteria Esportiva do Brasil tinha 27 anos de idade em 1972, quando a sorte lhe bateu à porta. Ganhou o equivalente a um pouco mais de R$ 6 milhões de reais, hoje.
Em pouco tempo, deu conta de torrar tudo depois dos gastos mirabolantes com todo o tipo de mordomia; entre as quais , carros, moradias, presentes, gastronomia e despesas generosas com viagens aéreas e outros gastos custeados para amigos e mulheres. Entre outras burradas, presenteou apartamentos  de luxo para muitas amigas, passou bens para o nome do sogro antes de separar da mulher, depois de ficar pobre.
"Hoje, precisa dormir num albergue e batalha uma aposentadoria por invalidez. Sofre do mal de Hansen tendo os dedos encolhidos e parecendo estar pela metade. A pele descascando em úlceras brancas e secas dão os contornos miseráveis de um corpo sendo carcomido pela doença. (Onde estariam os amigos que tanto foram ajudados por ele ?)     
                                                       
Hoje, sem nenhum companheiro, o novo pobre tenta justificar com a boca  mole e desdentada o prejuízo que teve pela falta de juízo. Só que, não convence aos filhos revoltados em número de 4 dos  9 que teve com diferentes mulheres.                                                                  
Enquanto isso, ele,o ex-milionário vive nas casas lotéricas fazendo uma fezinha com o dinheiro mixado que ganha como vigia de carros.
Talvez o que de melhor lhe tenha restado seja o exemplo de vida para quem pensa que um prêmio grande nunca acaba.Saber administrar não é fácil para quem nunca teve e, quando consegue, só pensa em tirar o atraso. E, o que é pior  e doído é saber que a sorte grande é como um raio.Difícil de novamente cair no mesmo lugar.



 

2 comentários:

  1. Parece q eu já vi esse homem aqui na praça da Piedade, aqui em Salvador.Oh dó...

    ResponderExcluir