Páginas

30 de mai de 2009

ViÚVA INCONFORMADA COM A MORTE DO ESPOSO CONVIVE COM O CADÁVER

 LEMBRANÇA INDELÉVEL

No Nordeste dos Estados Unidos, nos arredores de Colesville, perto da Pensilvânia morava um casal de médicos legistas.
Ali, conviveram maritalmente; o suficiente para manterem-se acesa uma paixão mútua e avassaladora.
Por volta de 1989, no mês de maio,quando a união completava uma década, Ane Lewis se surpreendeu pela fatalidade do mal súbito acometido pelo esposo John Martinês.A sua cara metade, não se foi em corpo e alma, mas apenas em alma, deixando a matéria em conservação, no mais completo sigilo pela não aceitação.
O cadáver do companheiro, era mantido intacto na banheira do seu quarto, onde era mergulhado em soluções antissépticas.Não era dada margens a qualquer suspeita que pudesse quebrar o sigilo do seu guardado; haja vista a descoberta só ser possível em fevereiro de 2008, depois de 19 anos sem o marido.
O episódio que gerou polêmica, debates e muito estudo, levou a viúva finalmente a exames de Psicanálise.
A conlusão médica do diagnóstico dos exames submetido foi taxativa em não constar nenhum sintoma resultante de anormalidade.Era paixão mesmo.

4 comentários:

  1. ESSE MARIDO DEVIA SER UM ESPETÁCULO!!!

    JACQUELINE

    ResponderExcluir
  2. Flavinha abóbora impossível8 de novembro de 2010 17:12

    Esse é dos meus.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Não posso dizer meu nome RS9 de fevereiro de 2011 10:42

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Um monstro no que se concerne a degeneração ou apaixonite!!!

    ResponderExcluir