Páginas

27 de mai de 2009

SOM DO VIZINHO PROVOCA FINAL INFELIZ

Aconteceu em Coronel Pires, no Município de Conselheiro Dantas, no Maranhão.
Justino José Miranda trabalhava como promotor de vendas. No dia 13 último,a esposa Gisele A. dantas que aguardava todas as tardes pela sua chegada do serviço,foi encontrada por ele com uma forte dor e cabeça.
Desesperado, José, procurando uma causa para aquele mal,culpa o som estridente que naquele momento vinha da casa do vizinho.Não era essa a primeira vez que o abuso se repetia.Outras reclamações em conjunto com a vizinhança, já tinham sido feitas.Pedidos insistentes, denúncias, enfim,sem mais esperança. Só que desta vez, ele não quis incomodar os companheiros do infortúnio.
Cansado do desrespeito, O homem não pensou duas vezes.Pega uma arma e vai até a casa do responsável pelo barulho.
A casa estava cheia de amigos.Era uma comemoração de aniversário.Ele se dirige até o local onde estava o som que julgava o grande causador do mal-estar da companheira. Transtornado pelos nervos,dispara 2 tiros no CD que ali rodava.
Um pânico foi desencadeado naquela casa onde gerou muita correria, gritos e desespero.
Justino, não parou por ai.Insatisfeito,mesmo depois de interromper a música,volta-se para o dono da casa que naquele momento estava tentando reunir e recuperar os convidados na tentativa de contornar a situação.O atirador ainda exaltado, não conformado com o passado de tantos desaforos quer tirar a limpo o atraso.Aponta a arma para a cabeça do anfitrião e dispara uma, duas, três e quatro vezes.
Foi quando apareceu à porta um filho do vitimado que, em represália à violência contra o pai, atira à queima roupa,no homem, derrubando-o com dois tiros pelas costas.

Final trágico de festa; o saldo de tudo isso foi dois corpos estirados ao chão e a chegada da polícia.
O que é que uma pirraça não faz?

Nenhum comentário:

Postar um comentário